Aprendendo outro idioma – 10 coisas que você precisa saber (parte 2) 2


Este post já foi lido 1943 vezes desde 27/06/2015

Semana passada publiquei a parte 1 do post Aprendendo outro idioma – 10 coisas que você precisa saber. Este post é a continuação dele, para que não ficasse muito extenso. Recomendo a leitura da parte 1 antes de continuar, se você ainda não o fez. Hoje os itens 6 a 10:

6. Ignore os mitos: a idade é só um número

Você é um adulto monolíngue: você perdeu o “barco” do idioma? Aaron Ralby, diretor da Linguisticator, diz que “um mito comum é que é mais difícil aprender quando se é adulto“. Adultos e crianças podem aprender de maneiras diferentes, mas isso não deve te impedir de se esforçar em aprender outro idioma. “Os idiomas são ao mesmo tempo orgânicos e sistemáticos. Quando crianças nós aprendemos os idiomas orgânica e instintivamente; como adultos nós os aprendemos sistematicamente.

Se você ainda não está convencido das suas chances, Ralby sugere buscar inspiração em filólogos e estudiosos que “aprenderam vários idiomas em nível enciclopédico quando adultos“.

dicas para aprender ingles

7. Revise o seu idioma nativo

Falar o seu idioma nativo é algo corriqueiro para você, mas isto não quer dizer necessariamente que você o entenda bem. Kerstin Hammes, editor do blog Fluent Language, acredita que você não pode progredir bem em um segundo idioma até que você entenda o seu próprio. “Eu acredito que entender seu idioma nativo e como os idiomas funcionam em geral é essencial antes que você comece a ter contato com expressões estrangeiras“.

8. Não menospreze a importância da tradução

Abordagens diferentes podem ser necessárias em fases diferentes do processo de aprendizagem. Assim que você atingir um certo nível de proficiência e puder falar de maneira mais precisa, Rebecca Braun, conferencista em estudos da língua alemã na Universidade de Lancaster, diz que é normal sentir uma diminuição no progresso. “A tradução“, diz ela “é um exercício importante para ajudar a deixar as coisas mais claras quando você atingir níveis mais ‘elevados’ que você vai alcançar como aprendiz do idioma…exercícios de tradução não permitem que você parafraseie e força o estudante a ir para o próximo nível”.

9. Cuidado com a fluência

Muitos dos especialistas são cautelosos com relação à questão da fluência. Hammes diz que não apenas é difícil de definir o que é a fluência, mas também que “como objetivo, é algo muito maior do que merecia ser. O aprendizado do idioma nunca para porque envolve conhecer a cultura, crescer pessoalmente e melhoramento contínuo. Eu creio que é aí que os estudantes estão errando“.

10. Vá até onde o idioma é falado

Pode não ser uma opção para todo mundo, mas Braun lembra que “se você leva a sério o processo de aprender o idioma e ter prazer com o que você aprendeu, você precisa ir onde o idioma é falado“.

Viajar e viver no exterior pode complementar o aprendizado da sala de aula: “Os livros e tabelas de verbos podem ser a maneira mais fácil de assegurar que você tenha exposição ao idioma em casa, mas as pessoas e a cultura irão complementar enormemente em um país aonde o idioma é falado“.

Travel and living abroad can complement learning in the classroom: “The books and verb charts may be the easiest way to ensure you expose yourself to the language at home, but the people and the culture will far outclass them once you get to the country where your language is spoken.”

Lembrando mais uma vez que este texto foi tirado daqui e traduzido por mim. O que você achou das 10 dicas? Deixe comentário!

Ueritom


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastrar!

2 pensamentos em “Aprendendo outro idioma – 10 coisas que você precisa saber (parte 2)