O Brasil não está muito bem no inglês… 8


Este post já foi lido 2350 vezes desde 27/06/2015

Todos sabem que nos próximos anos dois eventos de proporções mundiais serão realizados no Brasil: a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. Por causa disso, faz-se necessário que existam muitas pessoas falando inglês de forma fluente ou pelo menos avançada, para que possamos receber e atender bem aos visitantes em aeroportos, hotéis, restaurantes e comércio em geral.

A pergunta que fica é: conseguiremos ter este “batalhão” de gente falando inglês de forma adequada até lá? De acordo com pesquisas mais recentes, parece que não, infelizmente. De acordo com uma reportagem da BBC, o Brasil ficou em 46º lugar numa pesquisa que media o nível de proficiência na língua inglesa em 54 países. Segundo a reportagem, participaram dos testes cerca de 1,7 milhão de pessoas ao redor do mundo, sendo que 130 mil foram no Brasil. Caso você queira ver a reportagem, clique no link acima e para ver o relatório completo, clique aqui.

você fala inglês?

É claro que as Olimpíadas e a Copa do Mundo não são os únicos motivos para se aprender inglês. Cada pessoa que o faz, o faz com um objetivo em mente. Pode ser para poder ter melhores oportunidades de emprego, enquanto outro o faz porque quer se virar sozinho quando for viajar de férias para Nova Iorque. Outro ainda pode querer aprender para conseguir entender os filmes, séries e programas favoritos sem precisar de legendas. E por aí vai…

No Brasil, é obrigatório o ensino de uma língua estrangeira nas escolas desde 1996, quando foi aprovada a LDB (Lei de Diretrizes e Bases). A maioria opta pelo inglês, que é ensinado atualmente (depende de cada caso) a partir da 5ª série ou até antes. Sendo assim, em tese, os brasileiros deveriam ser “feras” em inglês, pois o estudam por vários anos.

Como na prática nem tudo é tão bonito, existem alguns fatores que prejudicam o ensino: falta de estrutura para o ensino, falta de qualificação e valorização de professores, desinteresse dos alunos em aprenderem…e para “ajudar”, há quem queira remover a obrigatoriedade do inglês na grade curricular. Vá entender…

Boa parte dos alunos que terminam o Ensino Médio acabam indo para escolas de idiomas para aprimorarem seus conhecimentos da língua inglesa. É uma opção válida, dependendo do que o aluno precisa, porém a escola por si só não fará com que o aluno aprenda. É necessário esforço por parte dele também.

Sobre o teste mencionado, deve-se salientar que ele foi feito apenas com adultos, cuja maioria estudou em uma época onde o inglês não era tão necessário nem obrigatório. Caso fosse feito com uma faixa etária mais jovem, é bem provável que os resultados seriam diferentes. Tenho a esperança de ver daqui a alguns anos o nosso país numa colocação bem melhor, pois as novas gerações têm mais contato, interesse e necessidade de aprender inglês, e isto fará com que aos poucos o nível geral cresça e o país ganhe como um todo.

Como leitura complementar, sugiro que você leia os posts abaixo:

E você, o que acha do resultado da pesquisa? O que acha deve ser mudado para termos um melhor ensino da língua inglesa? Deixe sua opinião nos comentários.

Até mais,

Ueritom


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastrar!

8 pensamentos em “O Brasil não está muito bem no inglês…