O uso do apóstrofo em inglês


Este post já foi lido 16850 vezes desde 27/06/2015

O apóstrofo, que por sinal (literalmente – risos) é comumente confundido com apóstrofe, é um sinal gráfico que é bastante controverso, pois causa bastante dúvida com relação ao seu uso. Se você quiser saber mais sobre como e quando usar este sinal, continue a leitura.

apóstrofo em inglês

O uso mais comum do apóstrofo em inglês é em contrações. Contrações, caso você não saiba é quando juntamos o final de uma palavra com uma parte da palavra seguinte. Exemplo: a partícula DO pode ser contraída com a palavra NOT, ficando DON’T.

Algumas das contrações mais comuns em inglês são:

don’t = do not

doesn’t = does not

didn’t = did not

wasn’t = was not

won’t = will not

wouldn’t = would not

isn’t = is not

aren’t = are not

it’s = it is

that’s = that is

Se quiser saber mais sobre contrações em inglês, visite este e este post, que escrevi tempos atrás. Aproveite também para ler o post que escrevi sobre o significado da contração ain’t, que é uma contração bastante “flexível”.

O segundo uso do apóstrofo se refere ao chamado caso genitivo. Isto quer dizer que quando queremos dizer que algo pertence a algo ou a alguém (sem usarmos pronomes), usamos um apóstrofo S (‘s) para indicar que o objeto pertence àquela pessoa, animal ou coisa. Ex: John’s car, Sandra’s house, etc.

Temos que ter alguns cuidados aqui. O primeiro é para o caso de termos dois substantivos e uma mesma “coisa possuída”. Podemos usar um apóstrofo para cada sujeito ou apenas no último. A diferença é que no primeiro caso cada sujeito possui uma “coisa possuída”, enquanto que no segundo caso a posse é compartilhada.

Ex: John’s and Mary’s house indica que o John tem uma casa e a Mary tem outra, enquanto que John and Mary’s house significa que ambos possuem a mesma casa.

Outra coisa a se observar é quando o substantivo termina com S, seja no singular ou no plural. No geral, nestes casos, usa-se apenas o apóstrofo e o S não “dobra” (ambos são aceitos para substantivos que terminem em S no singular). Ex: Jesus’ teachings, Charles’ brother, etc.

A contração ‘s pode ser usada também com substantivos, porém neste caso deve-se cuidar se o apóstrofo está sendo usado para indicar um verbo ou a posse de algo.

Compare as frases abaixo:

  • Bob’s hat is green;
  • Bob’s going to travel tomorrow;

Na primeira frase, temos um caso de posse. Estamos dizendo que o chapéu pertence ao Bob. Na segunda frase, o Bob’s é a contração de Bob is. Ou seja, é um verbo. Bob’s poderia também ser a contração de Bob has.

Outro uso de contrações, que é menos comum, é quando queremos pluralizar letras, números (inclusive quando nos referimos a uma década específica) ou abreviações. Veja exemplos:

  • The 80’s had the greatest songs ever;
  • I got two B’s in school last month;
  • You must ask to see their I.D.’s.;

Para finalizar, uma observação, é bastante comum haver confusão entre its e it’s. O primeiro é um pronome possessivo, relacionado ao pronome it. O segundo é a contração de it is ou it has. Veja exemplos:

  • It’s (it is) important that you fill all the fields in this form;
  • Rio de Janeiro is known for its beaches; (as praias “pertencem” ao Rio de Janeiro)
  • It’s (it has) been a hard day’s night; (música dos Beatles)

Em caso de dúvida, tente trocar o it’s/its por it is ou it has. Se a frase fizer sentido, use apóstrofo. Do contrário, deixe sem.

E aqui encerro este post. Em caso de dúvidas, deixe comentário.

Até mais,

Ueritom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastrar!