Porque a maioria das pessoas não aprende inglês? 20


Este post já foi lido 1827 vezes desde 27/06/2015

Se você chegou até esse blog, é porque provavelmente você deseja aprender inglês, certo? Bem, creio que não necessariamente. Pode ser que você esteja apenas buscando algum conteúdo específico para fazer uma atividade escolar, por exemplo, já que você precisa de nota para ser aprovado na escola. Ou ainda estava buscando por algo que não seja necessariamente o inglês mas cujo conteúdo esteja no blog, como por exemplo como baixar músicas do Youtube sem programas, entre outros.

Além disso, você pode também fazer parte de outro grupo: o de pessoas que chegaram até aqui com a intenção de aprender inglês, porém sente dificuldade ou acha que não está evoluindo nessa “missão”. Você nessas horas talvez se pergunte: “o que estou fazendo de errado que não consigo aprender inglês?”, ou ainda “Porque eu não aprendo inglês?”, ou perguntas do tipo. Bem, não sou guru, não tenho todas as respostas, porém vou tentar expressar aqui minha opinião pessoal, combinada com alguns textos de sites internacionais que li sobre o tema, para tentar elucidar melhor essa questão.

Inglês para Leigos - venha aprender inglês online

Antes de iniciar, quero deixar claro que cada caso é um caso, e o que se aplica para um pode não se aplicar a outro. Se você concorda, discorda, tem outras ideias a acrescentar, por favor, deixe comentário, para que possamos assim fazer uma discussão “saudável” sobre este tema. Seguem os itens:

1. A maioria das pessoas não se dedica o suficiente. Eu sei, você não vive em função do inglês. Você talvez trabalhe, estude, tenha filho ou irmão menor para criar, enfim, você tem uma vida. Não estou dizendo também que você deve deixar de sair, de fazer suas atividades rotineiras para estudar inglês. Mas pense por um momento: com certeza existem coisas que você adora fazer, e dependendo do caso, faria um grande esforço para isso. Vou dar um exemplo clássico: as pessoas que desfilam no carnaval. Elas passam o ano todo se preparando, costurando, ensaiando para chegar o mês de fevereiro e fazer uma apresentação que dura cerca de 80 minutos. Não estou julgando ninguém, apesar de não gostar de carnaval, mas quero dizer que isso sim é um exemplo de dedicação. As pessoas se dedicam porque gostam do que estão fazendo, então não se importam de fazer isso todo dia, ou pelo menos algumas horas por semana, pois isso é um hobby para elas. Com o inglês deve ser parecido: devemos tentar fazer dele um hobby. Não deixe de fazer suas atividades rotineiras, principalmente do lazer, pois senão você sentirá que está ‘abrindo mão’ de algo e inconscientemente você ficará “com raiva”. Sugiro que você, pelo menos a princípio, diminua o seu tempo em outras atividades e reserve para o estudo do inglês. Por exemplo: você pode assistir menos TV, ficar menos tempo no computador, entre outras coisas que você porventura possa fazer, para se dedicar ao aprendizado do idioma;

2. O eterno medo de errar: admita, você tem sim medo de errar, quer acertar tudo sempre, pois se importa, mesmo que um pouco apenas, com “o que os outros vão pensar“. Fique tranquilo, isso é normal, acontece com todo mundo, inclusive comigo às vezes. Temos receio de que fiquem rindo de nós, ou no caso de estudar em turma, de não conseguirmos acompanhar os colegas, de ficarmos para trás. Isso acaba gerando um “bloqueio” mental que atrasa e dificulta o aprendizado. No entanto, tenho uma boa notícia para você: as outras pessoas têm essas mesmas preocupações! Ou seja, elas também não querem ser ridicularizadas e tal. Portanto, tente “desencanar” disso, pois assim você ficará mais relaxado. O importante é fazer a “roda girar”, ou seja, falar, escrever, ler, se comunicar, para assim ganhar mais habilidade e confiança com o idioma. Se você nunca tentar por medo de errar, nunca sairá do lugar. Pense comigo: você é fluente em português, certo? Ou pelo menos consegue se comunicar de maneira satisfatória nesse idioma. No entanto, tenho quase certeza que você vez ou outra comete algum erro, seja na gramática, na concordância, ou no que for. Até mesmo os experts erram, têm dúvidas, falham. A melhor cozinheira do mundo de vez em quando deixa uma comida queimar, ou ainda põe sal demais. O Pelé, que é considerado o maior jogador de futebol de todos os tempos e fez mais de 1200 gols, também errou muito chute durante a sua carreira. Acho que você entendeu onde eu quis chegar, não é? “A prática conduz à perfeição, diz o ditado. Não o acho totalmente verdadeiro, pois jamais seremos perfeitos. Eu diria que “a prática conduz ao aperfeiçoamento”, o que é diferente. Falando em ditados, vou citar mais um: “uma jornada de mil quilômetros começa com o primeiro passo. Portanto, pratique o inglês sempre que possível, mesmo que não esteja indo lá muito bem no começo. Tenha em mente que você vai melhorando aos poucos, um passo de cada vez. Faça como o Joel Santana, que em 2009 era treinador da África do Sul e ao dar uma entrevista após um jogo contra o Iraque, falou “do jeito dele”, porém se fez entender. Quem já viu pode ver novamente, e quem não viu ainda veja agora:

Ele foi bastante “zoado” na internet, foi alvo de críticas e tal, mas pelo menos ele tentou. O Denilso de Lima, do blog Inglês na Ponta da Línguafez um post “defendendo” o Joel e a sua coragem por ter se expressar numa língua que ele não dominava. No final, ele deu a volta por cima e até ganhou dinheiro com propaganda!

3. Falta de motivação: esse tópico tem a ver com o primeiro. Vamos imaginar a seguinte situação. Você é fanático por futebol e é época de Copa do Mundo. Você, assim como a maioria das pessoas, irá “parar tudo” o que está fazendo para assistir à partida da seleção. Provavelmente se reunirá com a família, amigos, colegas de trabalho, etc. Quando a seleção fizer um gol, vai ser aquela alegria, pulo, canto, festa. Resumindo, isso é uma coisa que te deixa altamente motivado para fazer (a menos, é claro, que você não goste de futebol). O exemplo do carnaval mencionado acima também ilustra claramente o que quero dizer. Já ao estudar inglês, você talvez não tenha essa mesma motivação. Pode ser que você não veja utilidade no aprendizado, ou ainda pode ver, mas está fazendo por obrigação (o chefe ameaçou te despedir se você não aprender inglês é um bom exemplo). Resumindo, como qualquer coisa na vida, você fará com mais vontade e mais bem feito se estiver empolgado. Sugiro que você leia o post 5 dicas para tornar o aprendizado do inglês mais divertido, onde dei algumas dicas que podem lhe ajudar;

4. Achar que vai ser rápido: vivemos num mundo cada vez mais “acelerado”, onde a cultura do “imediatismo” está dominando. Duvida? Pense então na “agonia” que você sente quando a sua internet está lenta, ou então quando você solicita algo em uma loja, por exemplo, e lhe dão um prazo “extenso” (por extenso nesse caso me refiro entre 5 a 7 dias) para entrega. A facilidade de comunicação, onde mandamos uma mensagem e já temos resposta na hora, nos deixou com essa “ânsia” de querermos tudo “para ontem”. Antigamente o ritmo era mais devagar. Para se comunicar com alguém de longe, se usava principalmente cartas, que tinham que ser escritas, postadas no correio, mais o tempo para chegar, a outra pessoa ler, responder e voltar. Esse processo todo poderia levar em torno de 20 dias, o que é impensável atualmente. Por isso, boa parte das pessoas imaginam/desejam/querem aprender inglês “para ontem” também. No entanto, podemos dizer que aprender um idioma é igual “plantar uma semente” no seu cérebro. Ela precisa ser “regada”, cuidada, estimulada para que possa crescer. Porém todo esse processo leva tempo (anos, para ser mais exato). No entanto, boa parte dos alunos, após 3 meses de curso, ao verem que não estão experts no idioma, começam a desanimar. Pense comigo: quando você era criança, você levou anos para aprender a falar o seu idioma, correto? O que te faz crer que um idioma que é totalmente estranho a você, será aprendido em pouco tempo?

5. Culpar terceiros pelo seu aprendizado: admita: você é o principal responsável pelo sucesso ou pelo fracasso do seu aprendizado. Você pode estudar na melhor escola do mundo, porém se não estiver muito afim, não irá adiantar muito. Pode acontecer, claro de o método/escola que você está tentando aprender não seja o mais adequado para você. Ainda assim, cabe a você identificar se a maneira atual que você está utilizando para aprender está surtindo efeito, e caso contrário, “reajustar”, seja mudando de escola, estudando por outro método, etc. Tem gente que aprende sozinho (autodidatas), já outros precisam de apoio constante. Isso vai variar em cada caso, e cabe a você identificar o seu perfil para poder se adequar a ele.

Bem, eu teria mais coisas para falar, mas vou ficando por aqui. Me disseram essa semana que sou prolixo, e estou começando a achar que a pessoa tinha razão (risos). Como textos de apoio, a quem se interessar, deixo este e este link, de outros sites que falam sobre o tema.

Agora é com você: o que achou do texto que escrevi? Concorda? Discorda? Tem algo mais a acrescentar? Clique aqui e deixe o seu comentário! Ah, e não esqueça de compartilhar no Facebook também.

Até mais,

Ueritom


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastrar!

20 pensamentos em “Porque a maioria das pessoas não aprende inglês?

  • Zuila Ericeira

    Gostei muito do texto que você postou. Você usa uma linguagem muito suave. Você realmente é um bom pesquisador e publica temas que atingem o interesse de seus leitores. Obrigada pela colaboração.

  • Carmem

    Boa tarde.
    Amei seu texto e concordo plenamente sobre tudo que você escreveu. Inclusive me enquadro em todos os pontos acima citados. Eu preciso aprender a ter disciplina, por que sou velha e quero falar inglês com fluência, porém minha determinação e dedicação são ZERO. Obrigada.
    Carmem

  • Regina Célia

    Ueritom, bom dia!!!

    Leio todos os seus posts. Aproveito todas as suas dicas para aprender inglês. Estou tentando a cada dia melhorar. Mais do que um sonho é a minha meta, o meu objetivo. Aproveito a oportunidade para parabenizá-lo pelas dicas e dizer que estas são importantes para quem deseja estudar sempre mais sem barreiras para alcançar tal meta. Abraços!

  • Kira Nauama

    Adorei ler essa página e mais me ajudou bastante pois estou há dois anos estudando em uma escola de Ingles e tudo que li foi oque esta acontecendo comigo .;pois as vezes eu me pergunto P.q eu não consigo sair do livro 1 (um).
    pensava eu as vezes será q. nunca vou aprender essa lingua? Pois não consigo guardar na memória os verbos diferenciar oque é palavras objetivas qdo e como usá-las. enfim será que sou cabeça dura . concluindo esse ano ja fazem 2 anos no mesmo livro pois não passei a diante porque foi uma opção minha propria. porque eu disse pra mim mesmo .pra que ir para o proximo livro se eu ainda tinha dúvidas de sertos pronomes como e quando usá-los . . Agora depois deste artigo que tu escreveste aqui vou pensar mais positivo sobre meus atos … Grato e uma boa semana.

    Kira

  • Aura Maria Coura

    Olá Ueritom!

    Muito boas todas as dicas, é realmente isso mesmo:
    Concordo que a principal dificuldade no meu aprendizado é a falta de motivação e persistência.
    Já iniciei cursos de inglês várias vezes e hoje ao 57 anos falo +- como o Joel do vídeo, (risos)..
    Porém temos a lamentar o porquê o inglês não é ensinado e levado a sério em nosso pais como segunda língua, a exemplo de outros paises; aliás lamentamos mais ainda que a Língua Portuguesa, a Matemática, Ciências…também não são!!!!
    Parabéns pela iniciativa e colaboração, amei descobrir esses blogs e sites e estou me esforçando.
    Curiosidade:
    Tenho uma filha casada com europeu e desejo muito falar fluente já que meu genro não aprendeu o português direito. Quem sabe eu aprendo inglês antes dele aprender o nosso português!
    Grande abraço e muito obrigada!
    Aura

    • Ueritom Ribeiro Borges Autor do post

      Oi Aura..

      Concordo com você. O ensino de idiomas não tem a valorização que merece. Fico feliz que estejas gostando do meu blog e espero contar sempre com sua visita e indicação.

      Espero que você fique fera no inglês antes do seu genro aprender o português. Depois você volta e conta pra gente, ok?

      Tenha uma ótima semana,

      Ueritom