O cérebro e o aprendizado de idiomas

Este post já foi lido 1650 vezes desde 27/06/2015

Como você já bem  deve saber, o cérebro é um dos principais órgãos do corpo humano, responsável por controlar movimentos, sensações, enviar e receber sinais para outras partes do corpo, e processar as informações que recebemos de fora. De certa forma, é como se fosse o processador do computador.

Mas, além disso, ele é também um músculo, e como tal, precisa ser “exercitado”. Da mesma maneira que outros músculos do corpo, quanto mais “estimulado” ele for, melhor ele irá desempenhar suas funções. Isso se chama “hipertrofia”. De maneira oposta, quando fazemos pouco uso dele, ele começa a “definhar” e ficar mais “preguiçoso”. Isso é chamado de atrofia. Há quem diga inclusive que uma das causas (ou pelo menos um dos “agravantes”) para o Mal de Alzheimer é o “mau uso” do cérebro.

cérebro e o aprendizado do inglês

Sendo assim, temos que “forçar” nosso cérebro a “trabalhar” sempre que possível, e de “forma ativa”. Quando digo forma ativa me refiro a atividades em que ele tenha que processar informações e dar um retorno, geralmente de forma rápida ou instantânea. Exemplos disso seriam jogos, como jogos de tabuleiro, jogos de vídeo game, leitura (por desenvolver o senso crítico e ajudar a aprimorar a imaginação), palavras cruzadas entre muitas outras. Em contrapartida, atividades como assistir muita televisão deixam o cérebro em “stand by”, pois ele não está sendo muito usado.

Veja também:  Mnemônica - já ouviu falar?



Além do que foi mencionado acima, estudos apontam que “a melhor ginástica para o cérebro é aprender outro idioma“, ou seja, é uma das maneiras mais eficazes de treinar o seu cérebro e deixá-lo “afiado”. Ainda segundo o mesmo artigo, “de acordo com a pesquisa, dominar duas línguas não comprova maior inteligência para o indivíduo, mas atesta uma melhor eficiência do órgão. Percebe-se um aumento na velocidade do processamento de informações em pessoas bilíngues“. Isso não quer dizer que quem fala inglês ou qualquer outro idioma além do seu idioma nativo, mas sim que consegue organizar e processar informações de maneira mais efetiva.

Este artigo foi escrito com o intuito de ser um incentivo a mais para você que está lutando para aprender inglês. Se você estudava inglês por necessidade profissional, por precisar passar de ano na escola, por achar “chique”, por ter o sonho de falar outro idioma, agora tem mais um ótimo motivo para se dedicar ao aprendizado do idioma: ter um cérebro mais “desenvolvido”, o que fará com que ele funcione melhor de uma maneira geral, além de diminuir o risco de doenças degenerativas quando chegar à terceira idade. Portanto, let’s learn English!

Se você quiser saber mais sobre como o cérebro e o aprendizado de idiomas se relacionam, leia os artigos abaixo:

Bem, por hoje é isso. Espero que tenham gostado deste conteúdo. Até a próxima!
Ueritom

4 comentários em “O cérebro e o aprendizado de idiomas

  • Pingback: O que acontece com o cérebro quando aprendemos um novo idioma? - Inglês para Leigos

  • 9 de novembro de 2013 em 22:35
    Permalink

    Muito bacana este conteúdo! Gostei também dos links que você mencionou.

    Abs,
    Bruna.

    Resposta
  • 13 de agosto de 2012 em 15:49
    Permalink

    UERITON RIBEIRO, VC NÃO FAZ IDEIA DE COMO ESTOU FELIZ, DESDE ADOLESCENTE QUE SOU APAIXONADA PELA LÍNGUA INGLESA E POR OUTRAS TAMBÉM, MAS O INGLÊS PREVALECE, JÁ COMECEI A ESTUDAR VÁRIAS VEZES, MAS NUNCA CONCLUÍ, SOU BRASILEIRA E HOJE MORO EM PORTUGAL A 7 MESES. OLHA NUNCA VI UMA FORMA DE APRENDER INGLÊS COMO ESSA, VC É 10!!! AMEI TUDO!! TEM MUITO MATERIAL, SÓ NÃO APRENDE SE NÃO QUISER!!
    AGORA SIM, TENHO CERTEZA QUE EM BREVE ESTAREI DOMINANDO A LINGUA!! OBRIGADA POR ESSA OPORTUNIDADE!!
    SUENI

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *