Com que frequência você lê?

Este post já foi lido 840 vezes desde 27/06/2015

Todos sabemos que para sermos “experts” em qualquer coisa que seja é necessário muita repetição. Isso vale para aprendizado de idiomas, dirigir, medicina, mecânica ou o que quer que seja. Isso ocorre porque nosso cérebro vai se habituando àquilo que é repetido e depois de um tempo isso acaba sendo feito com naturalidade e até mesmo de forma automática. Um exemplo “clássico” disso é escovar os dentes. Você já faz isso há tanto tempo que já é algo automático para você. Você nem pensa mais nisso, enquanto faz. Você talvez pense no que fará durante o dia, na novela de ontem (caso goste de novela), ou qualquer outra coisa relevante ao seu dia-a-dia.

Toda atividade que fazemos porá nosso cérebro para funcionar.  E quanto mais ele trabalhar, melhor, pois com o tempo ele ficará “exercitado” e terá um “tempo de resposta” menor.  Aproveite para ler o post O cérebro e o aprendizado de idiomas, onde falo mais sobre os benefícios do aprendizado de uma nova língua para o cérebro.

Mas o que quero falar hoje especificamente é sobre leitura. Não apenas com relação à língua inglesa, mas no geral. Cada vez mais as pessoas lêem cada vez menos, e isso a longo prazo não é bom nem para si mesmas, nem para a sociedade como um todo.

É consenso geral os benefícios da leitura na vida da pessoa. Vou citar apenas alguns:

  • a pessoa desenvolve melhor sua imaginação e consequentemente a criatividade;
  • melhor desenvolvimento do vocabulário, pois terá “contato” com mais palavras;
  • conseguirá se expressar melhor de forma escrita e até falada;
  • a pessoa fica mais bem informada e assim terá mais opções de assuntos ao conversar com outras pessoas.
Leia este artigo que é bem interessante e fala exatamente sobre isso. Além do mais, a pessoa que lê também estará mais “preparado” para aprender outro idioma, pois ele já estará “habituado” a receber novas informações e ideias. Como disse Einstein:
“a mente que se abre a uma nova ideia jamais retorna ao seu tamanho anterior”.

Quanto mais cedo a pessoa se acostumar a ler, mais gosto ela terá pelo hábito da leitura. Infelizmente, a cada geração que passa, lê-se menos. Isso ocorre principalmente por causa da internet, que dá tudo “mastigado” para a pessoa. Não estou falando mal da internet, ela é útil e muito em várias coisas, porém acaba nos deixando “preguiçosos”. No meu tempo (nem sou tão velho assim) de escola, quando fazíamos um trabalho de escola, tínhamos que combinar um horário para o grupo comparecer à biblioteca, depois tínhamos que pesquisar na Enciclopédia Barsa (alguém lembra?), depois tirar fotocópias, LER o conteúdo, para resumir e então passar a limpo e entregar. Era trabalhoso, mas pelo menos aprendíamos mais, pois nos obrigávamos a prestar atenção. Atualmente, vai-se ao Google, copia-se e cola, sem sequer ler o que estava escrito. Corre-se o risco de acontecer “pérolas” como “clique aqui para mais informações“. Imagine isso numa folha impressa. Como alguém vai clicar numa folha de papel?

a importancia da leitura

Dia desses, tive uma “experiência” com um aluno de 10 anos. Mandei-o ler um texto que havia no sistema para ele responder as perguntas depois, e ele reclamou de ler. Detalhe: eram apenas 3 páginas! Imagina então quando a professora mandar ele ler um livro de 150 páginas para fazer uma prova?

Enquanto preparava este artigo, fiz algumas pesquisas e achei um texto que fala que “…Nos Estados Unidos, por exemplo, a Fundação Nacional de Leitura Infantil (National Children’s Reading Foundation) garante que, para a criança de 0 a 5 anos, cada ano ouvindo historinhas e folheando livros equivale a 50 mil dólares a mais na sua futura renda“. Precisa dizer mais para incentivar a leitura? Quanto mais cedo começar a leitura, melhor. Se você tem filhos, irmãos pequenos, sobrinhos, afilhados, netos, incentive-os a ler. Mas, não deixe você também de ler sempre que possível, nem que seja 15 a 30 minutos por dia. Ache algum livro, revista ou jornal que lhe interesse e “olhos à obra”! Comece lendo aqui os 100 benefícios da leitura. Clique aqui para mais um texto sobre isso.

Para finalizar, deixarei aqui a história do Bill Gates, que disse que “meu pai passava uma lista de 10 livros para eu ler nas férias. Mas eu não o obedecia. Eu lia o dobro”. Vejam até onde ele chegou. Não quero dizer que apenas por ler você chegará longe, mas certamente estará mais preparado para isso. Isso inclui aprender inglês.

E você, gosta de ler? Com que frequência você lê?

2 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *