É necessário estudar gramática para aprender inglês?

Este post já foi lido 18370 vezes desde 27/06/2015

Se você decidir fazer um curso de inglês “convencional”, a maioria deles (ou boa parte pelo menos) terá um grande foco em regras gramaticais, conjugações de verbos e afins. Minha pergunta é: será que é realmente necessário estudar todas as regras gramaticais para se aprender bem o inglês? Vou dar a minha opinião pessoal e caso você discorde, deixe a sua nos comentários.

Do meu ponto de vista, na maioria dos casos, a resposta é NÃO. Digo isso por alguns motivos. Vou começar pelo que considero ser o principal: falantes nativos não estudam gramática quando estão aprendendo a falar um idioma.

aprender gramatica é necessário?

Isto vale tanto para o inglês quanto para o português, espanhol, holandês..as pessoas aprendem sua “língua-mãe” quando são crianças, geralmente a partir de um ano de idade. Elas ouvem pessoas falando o idioma desde que nascem, e no começo (suponho pelo menos) não têm muita noção do que está sendo dito. Porém com o tempo, e com o “input” constante, elas começam a assimilar e conhecer as palavras, e instintivamente vão aprendendo como devem conjugar um verbo, quando devem usar tais palavras, quais palavras não devem falar, e assim por diante. Após certo tempo ouvindo palavras e frases no idioma o qual está cercado, elas começam a falar algumas palavras. Com o tempo, seus vocabulários aumentam e começam a formar frases, entender e responder ao que está acontecendo ao seu redor, e vão evoluindo constantemente.

Veja também:  Crianças aprendem inglês mais rápido que adultos?

Veja que até aí não houve nada de gramática. Ou você já sentou perto de uma criança de 3 anos e disse “hoje vamos falar sobre substantivos“? Duvido muito que isto tenha acontecido. No geral, as crianças começam a aprender gramática na escola, por volta de 8 anos. Até então, ela não tem a menor ideia do que é gramática ou do que são verbos irregulares, apesar de já saber usar de forma instintiva, devido à repetição constante que tem no ambiente onde mora.

Certa feita, eu estava conversando com um norte-americano que morava perto de mim à época. Ele se ofereceu para dar aulas de inglês para mim, e disse que ele começaria com conversação para depois falar de gramática e parte escrita, justificou dizendo que “nos EUA as crianças aprendem a falar primeiro e depois a escrever“. Falei para ele que aqui no Brasil também é assim.

Contei a história acima para ilustrar o que tenho falado até agora. Creio que para você ter um melhor aproveitamento, você precise ter bastante input (“entrada de dados”, no caso ouvir e ler em inglês), para que você possa, assim como os bebês, ir conhecendo os padrões do idioma. Com o tempo, você irá instintivamente perceber como usar o que e quando, sem ter que necessariamente estudar gramática. Você deve começar com materiais mais “fáceis”, de preferência os que tenham transcrição, para que você possa associar a pronúncia com a escrita das palavras.

Veja também:  Estudar inglês nunca foi tão fácil

E A GRAMÁTICA, COMO FICA? DEVO ABANDONÁ-LA TOTALMENTE, ENTÃO?

Não sou tão extremista a esse ponto. A gramática tem o seu lugar. Do contrário ela não existiria. No entanto ela foi criada a partir de como as pessoas falam, e não o contrário. É tanto que ela evolui ao longo do tempo. É só você comparar o inglês arcaico com o inglês atual que verá como o idioma evoluiu.

No entanto você não deve focar exclusivamente em gramática, pois do contrário seu aprendizado se tornará algo maçante, e a chance de você querer desistir aumentará. O inglês deve ser algo divertido de se aprender. Se você conseguir isto, evoluirá mais rapidamente.

Se você for fazer exames de proficiência em inglês, certamente terá que aprender a gramática. Porém se você estuda inglês para poder se comunicar, ela não será tão importante assim. Você irá conversar com as pessoas, porém não irá falar de gramática. Se você ficar pensando sobre as regras gramaticais enquanto fala, correrá risco de “travar” durante a conversa. Sendo assim, sugiro que você estude menos gramática e seja mais feliz! 🙂

Veja também:  Vale a pena pagar por apps de idiomas?

Gostaria de saber a sua opinião sobre o assunto. O que você acha de estudar gramática enquanto aprende inglês? Você a estuda? Deixe seu comentário!

Até mais,

Ueritom

29 comentários em “É necessário estudar gramática para aprender inglês?

  • Pingback: 14 – A REVOLTA dos PORQUÊS no INGLÊS! | Curso de Inglês Grátis & Online

  • 21 de novembro de 2016 em 21:02
    Permalink

    OLá, gostei muito do depoimento.acho que só tentar falar e entender é suficiente para uma boa aprendizagem.
    Ja fui pra Inglaterra. gostaria de praticar meu ingles básico em algum local sem remuneração, somente para ajudar…Tem alguma sugestão?

    Resposta
  • 17 de novembro de 2016 em 08:47
    Permalink

    Só um pouco de gramática é necessário no início do aprendizado, apenas o necessário para entender porque acontecem algumas situações. O importante mesmo é ouvir e falar, e quando já souber entender, um pouco de gramática só para poder escrever. Você esta completamente certo.

    Resposta
  • 16 de novembro de 2016 em 20:21
    Permalink

    Concordo 100% que a gramática não é relevante paa aprender idioma. Veja… ninguém ensina bebê a falar usando um livro, não é? Trabalho com crianças de 3 a 5 anos, brincadeiras e outras atividades conforme cada faixa etária. Através de comparações e pequenos diálogos que podem entender, sabem tudo o que falam, sem “decoréba”.

    Resposta
  • 16 de novembro de 2016 em 17:59
    Permalink

    Na minha opinião a gramática é importante para sabermos estruturar bem as frases, mas não devendo dar maior ênfase a ela, caso contrário não sairemos do lugar. Bjs

    Resposta
  • 16 de novembro de 2016 em 17:52
    Permalink

    Entendi muito bem a sua mensagem mas para eu consegui falar, preciso de gramática. Tenha 54 anos e tem 3 anos que estudo em uma escola tradicional. Eu tenho muita dificuldade para falar e entender. Eu estudo todos os dias. O problema sou eu. Eu adoro aprender gramática. Adoro escrever no caderno as dicas do you tube. Concordo com você mas comigo não funciona assim. Abraços

    Resposta
  • 16 de novembro de 2016 em 12:18
    Permalink

    Eu tive uma experiência recentemente no intercâmbio e eu achei que as aulas de gramática que eu fiz (junto com as de conversação e a vivência em outro país), me ajudaram muito na conversação e na compreensão da língua inglesa.
    Entender os tempos verbais e algumas regras fazem total diferença no momento em que você vai desenrolar uma conversa.
    Mas não acho que tem que ser o foco de estudos. Se pudesse dividir acredito que usaria como aprendizado 60% do meu tempo em conversação e os outros 40% com gramática.

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2016 em 14:05
    Permalink

    Ueritom, gostei bastante da sua abordagem. Li outros posts mas falando especificamente deste, acho que a gramática DEVE sim ficar para depois. Ela complica e entendia quem está começando. Melhor iniciar pela leitura, música, filmes, jogos, etc … Fazendo o que te dá prazer, o aprendizado flui mais fácil. Parabéns pelo site.

    Resposta
    • 12 de fevereiro de 2016 em 00:16
      Permalink

      Obrigado, Rodrigo!

      Resposta
  • Pingback: Retrospectiva 2013 - parte 12 - Inglês para Leigos

  • 5 de abril de 2014 em 12:54
    Permalink

    Confesso a todos que antes tinha esse pensamento de aprender gramática para depois aprender falar, hoje penso também o contrário disso.

    Resposta
  • 12 de dezembro de 2013 em 22:19
    Permalink

    Não dá pra comparar a forma que uma criança aprende um idioma com a forma de um adulto aprender. Pra você conseguir esse mesmo feito ou quase o mesmo,teria que morar no país,que é a garantia de está 24h dentro do idioma.
    Agora pra nós,que estamos estudando em um país diferente,fica mais dificil não aprender sem gramatica.
    E acho também que é melhor quando a gramatica é contextualizada,com vocabulário e tudo mais assim aprende-se muito mais.

    Resposta
  • 11 de dezembro de 2013 em 17:32
    Permalink

    Dia desses eu vi um depoimento de uma senhora em um site voltado também para o aprendizado da língua inglesa em que ela relatava um forte sentimento de frustração, pois frequentou um curso de uma famosa escola de idiomas por durante 7 anos, sabia de cor e salteado as regras gramaticais da língua inglesa, porém continuava a não compreender o inglês falado e obviamente não sabia falar inglês, a coisa só mudou quando ela resolveu se matricular em outro curso ( dessa vez online e não tão famoso) onde era estimulada a praticar o listening, ou seja, era estimulada a não ficar presa só na gramática, que ela deveria inserir o inglês em seu dia a dia ouvindo bastante inglês, seja com desenhos animados, seriados, filmes e ouvir áudios em inglês sempre que pudesse através de aparelhos de MP3 player, ela contou que assim fez e assim conseguiu chutar a frustração pra bem longe pois começou a realmente entender o idioma como um todo e não só gramática,o texto do Ueritom em nenhum momento diz que a gramática deva ser deixada definitivamente de lado, apenas aconselha a não ficar com aquela neura doentia com a gramática, só isso.

    Resposta
  • 9 de dezembro de 2013 em 21:19
    Permalink

    Nós brasileiros não precisamos da gramática para poder falar.
    O que Ueritom está dizendo não é que gramática não seja importante, mas ninguém pensa nas regras enquanto estamos pronunciando algo. Assim é o inglês, nós aprendemos as regras no decorrer porém o inglês deve ser pronunciado naturalmente pois não há tempo em pensar em regras.

    Resposta
  • 9 de dezembro de 2013 em 12:49
    Permalink

    Concordo em parte. Sim, não acho que vá ajudar fixar-se na gramática logo no início. Mas depois de um tempo, é muito importante! A grande maioria das pessoas que diz falar inglês, não fala corretamente. Aprender inglês “das ruas”, com música, sem noção de gramática, é perigoso.
    Quando você vive no país, é relevante. Você está o dia todo ouvindo o idioma. Mas eu, por exemplo, vivo no Brasil e não tenho contato diário com o inglês. Preciso da gramática e suas regras.
    Um abraço e parabéns pelo trabalho.

    Resposta
    • 10 de dezembro de 2013 em 15:25
      Permalink

      Obrigado por dar sua opinião, Rosa…

      Cada pessoa aprende de um jeito. Algumas precisam conhecer as “regras”, enquanto outras as entendem intuitivamente. Não quis aqui ser o dono da verdade. Apenas expressei a minha opinião. Você te todo o direito de concordar ou não.

      Espero que você possa sempre continuar voltando ao blog!

      Ueritom

      Resposta
  • 8 de dezembro de 2013 em 12:33
    Permalink

    Legal tocar neste assunto Ueritom. Uma criança aprende por repetição e por “osmose”, mas não podemos nos esquecer que primeiramente usam um vocabulário limitado e proporcional ao pequeno mundo no qual vivem. Este mundo aumenta gradativamente e o vocabulário e a maneira de se expressar também. Não é comparável com o vocabulário necessário no mundo adulto. Mas tem um aspecto: se as pessoas ao redor desta criança falam corretamente, a criança também falará corretamente caso contrário teremos os conhecidos ” Nois vai, nois fica” os ” mim não quer” etc… Isto acontece em todos os idiomas e países, portanto também em Inglês e a correção disto é feito pela gramática. Nas escolas nos Estados Unidos , Inglaterra etc, também se estuda gramática e aqui no Brasil também. Seguindo esta linha acredito que sem gramática ou pouca gramática inevitavelmente ocorrerão erros mesmo por parte de um nativo. É só ligar a TV para entender o porque a gramática é importante sim.

    Resposta
    • 10 de dezembro de 2013 em 15:31
      Permalink

      Entendo sua colocação, Didier. Sim, as escolas ensinam gramática, e ela é necessária para se escrever corretamente e também para provas, pois este conteúdo faz parte da grade escolar. No entanto, para o inglês falado, a sua importância diminui, pois a maioria das pessoas está preocupada em se comunicar e não necessariamente em falar corretamente, ou da maneira que a gramática “manda”.

      Vou dar um exemplo: vamos pegar o verbo ir no presente do indicativo: eu vou, tu vais, ele vai, nós vamos, VÓS IDES, eles vão. Você fala vós ides, ou pelo menos conhece alguém que fale assim? Eu duvido, e nunca vi também. Porém, se não falamos assim, estamos gramaticalmente incorretos. Foi essa a ideia que eu quis passar no post: que a gramática pode atrapalhar o aprendizado de um novo idioma, principalmente quando o seu objetivo é se comunicar e não fazer exames ou testes que requeiram conhecimentos gramaticais.

      Em todo caso, agradeço o comentário e espero que você possa voltar sempre ao blog.

      Ueritom

      Resposta
      • 16 de novembro de 2016 em 20:26
        Permalink

        Alguns “cursos de Inglês” tem o enfoque na gramática e isso é cansativo e também uma forma de ganhar $$.
        Aposto em aprender falando e a gramática ser inserida e explicada nas falas, podendo ser aumentado gradativamente o nível de dificuldade/estudo da gramática.

        Resposta
  • 7 de dezembro de 2013 em 12:53
    Permalink

    Concordo com você. Gramática é sim muito importante, mas é importande encaixar no momento certo do aprendizado.

    Parabéns pelo blog!

    Mariana

    Resposta
  • 7 de dezembro de 2013 em 12:35
    Permalink

    Ola! Li este artigo, e em partes nao concordei. Bem no caso de criança é uma situaçao mas no caso de adulto, acredito que tenho que apreender regras sim, senão fico so falando palavras soltas sem conteudo. Acho que granatica é fundamental num curso de Inglês, como tb conversaçao e vocabulario. As regras tem que ser aprendidas e treinadas na conversaçao.
    Eu por exemplo se nao tenho regras nao consigo falar, pois nao sei passado, futuro etc…
    Nao faria Ingles em parte alguma se nao pudesse aprender as regras. Como vc mesmo disse crianças nao usam regras, mas quando adultos tem que usa-las. Nao sei nao… Mas nao concordei com o texto.

    Resposta
    • 7 de dezembro de 2013 em 13:00
      Permalink

      Sandra..

      Entendo seu ponto de vista. Conforme falei no início do post, esta é a minha opinião, com base nas experiências que tive tanto ensinando quanto aprendendo inglês. Você tem todo o direito de ter uma opinião em contrário.

      Em todo caso, o que eu quis dizer de maneira principal é que pessoas que falam fluentemente não utilizam as regras gramaticais ao pé da letra. Existem muitas gírias, erros de concordância, sem falar que o inglês escrito é diferente do inglês falado. As nuances do idiomas não podem ser aprendidas apenas com gramática.

      Obrigado pelo seu comentário e espero que você continue visitando o blog.

      Att,

      Ueritom

      Resposta
  • 6 de dezembro de 2013 em 08:40
    Permalink

    Parabéns pelo artigo. Escutar e falar inglês pode e deve ser algo prazeroso. Deixar a gramática para depois é uma necessidade, pois é uma forma natural das coisas.

    Resposta
    • 7 de dezembro de 2013 em 12:52
      Permalink

      Obrigado Sheila..que bom que você também pensa isso..com o tempo descobri que ensinar muita gramática entedia e desanima quem está aprendendo. Obrigado por comentar e volte sempre ao blog!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *