Entrevista com brasileira que mora no Canadá – parte 3

Este post já foi lido 650 vezes desde 27/06/2015

Hoje publico a terceira e última parte da entrevista com a Alcira, brasileira que vive no Canadá. Caso ainda não tenha visto, leia a parte 1 e a parte 2 desta entrevista antes de continuar, e depois prossiga com esta leitura:

***

7. O custo de vida por aí é muito alto?

R: Segundo a minha perspectiva atual, sim. Mas deve-se levar em conta o fato de que não faz muito tempo que vivo aqui e não tenho ainda a renda que tinha no Brasil, por exemplo. Então, parece tudo muito caro. Mas acredito que mudarei de opinião quando estiver vivendo aqui há mais tempo, recebendo mais e em dólar, gastando em dólar e “pensando” em dólar. O que quero dizer é que para quem acabou de chegar aqui, parece que é tudo mais que o dobro do preço do Brasil, mas não é bem assim. O que chama mais atenção, na província na qual moro, são os valores dos aluguéis de imóveis e da alimentação. Paga-se se cerca de 1500 dólares, sem nenhum benefício incluso (taxa de aquecimento, por exemplo), pelo aluguél de um imóvel simples de três quartos. É fácil gastar cerca de 400 dólares por pessoa em alimentação e higiene pessoal, a depender de seus padrões pessoais, evidentemente. O importante aqui, é você “batalhar” para conseguir um empréstimo para adquerir a casa própria e não pagar tanto em aluguéis de imóveis. No Canadá os juros não são altos para financiamento de imóveis e você consegue comprar seu imóvel com certa facilidade. O que irá proporcionar certo conforto financeiro a médio prazo. Ah, devo lembrar que os impostos são elevados, mas muito bem administrados em retorno aos cidadãos canadenses. Portanto, a tendência, com trabalho, persistência e paciência, é ter uma vida digna e satisfatória aqui no Canadá.

 

8. Você pretende fazer outras viagens de aprendizado para outros países? Caso sim, para quais?

R: No momento, não. Acho que preciso manter o foco em reconstruir a vida aqui no Canadá pelo menos pelos próximos dois anos e meio.

 

9. Se você pudesse voltar no tempo, teria ido viajar novamente? Faria tudo igual ou faria algo diferente?

R: Se eu pudesse voltar no tempo, teria vindo para o Canadá pelo menos cinco anos antes. Teria juntado ainda mais dinheiro e teria me dedicado mais em aprender inglês.

Viver no Canadá

 

10. Que dicas você dá para quem está planejando viajar para o exterior, e, mais especificamente, para o Canadá?

R: O que posso dizer é o que uso para mim mesma: acho importante pesquisar muito sobre o país de destino. Quanto mais se sabe sobre o país escolhido, mais tranquila será sua jornada. Aqui no Canadá tudo é muito claro. Se é permitido, ok. Se não é, esqueça. As leis são claras, cobradas, cumpridas e iguais para todos. O cidadão, em geral, as conhece e as segue, sem stress. Ah, acredito que, quando estamos inceridos em determinada sociedade, seja ela nativa ou não, devemos procurar nos adaptar a ela ou fazer algo efetivo na tentativa de questionamento e/ou mudança se não estiver de acordo com algum aspecto. Então, não acho legal morar no Canadá e continuar “pensando” e “agindo” com se estivesse no Brasil. Portando, creio que seja preciso o exercício de “mergulhar” na cultura canadense e mudar perspectivas anteriores de vida em sociedade tendo em vista melhor adaptação ao novo sistema social escolhido.

 

11. Alguma consideração final? Quer deixar algum recado para os leitores do Inglês para Leigos?

R: Bem, respondi a essas perguntas a pedido do Ueritom e trata-se apenas de minha vã experiência. Não tenho nada contra o Brasil e os brasileiros e sei que muitos não concordam com minhas perspectivas. Mas cada um, cada qual, não é mesmo? Espero ter contribuído de alguma forma com os aprendizes da língua inglesa como eu.

Quanto aos leitores do Inglês para Leigos: ” – Pessoal, vocês não acham admirável a iniciativa do Ueritom em disponibilizar livremente seu grande conhecimento da língua inglesa aqui nesse blog?” Eu acho! Parabéns, Ueritom! Pessoal, aproveitem e façam bom uso desse espaço e dessas informações. Obrigada. Um abraço, Alcira“.

 

***

Esta foi a última parte da entrevista com a Alcira. Espero que tenham gostado. Quem quiser pode deixar comentário. A partir do próximo post, voltaremos com a nossa “programação normal”.

Att,

Ueritom

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *