O Simple Past Tense dos Verbos Regulares

Este post já foi lido 2884 vezes desde 27/06/2015

Este post é continuação do Simple Past Tense – o Passado dos Verbos. Caso ainda não o tenha lido, aproveite para fazê-lo agora. No post em questão, dei uma introdução ao Simple Past Tense e expliquei como ele funciona nas formas negativa, afirmativa e interrogativa. As formas negativas e interrogativa são iguais tanto para verbos regulares como para irregulares. O que muda é na forma afirmativa.

Fazendo uma recapitulação rápida, os verbos regulares são aqueles cujo passado termina invariavelmente em -ed, independente da pessoa  (primeira, segunda ou terceira) e do tempo (singular ou plural). O verbo test (testar), por exemplo, é regular e seu passado é tested, independente se o sujeito for eu, nós, Joana, Marcelo e Pedro, meus irmãos, etc. Sendo assim posso dizer tanto “I tested the new iPhone last week” quanto “My brothers tested the new iPhone last week“. Viu, ele fica “estático”, não há alterações.

Já os verbos irregulares são aqueles que não possuem forma definida, ou seja, cada um tem uma forma diferente no passado (em frases afirmativas). O jeito neste caso é conhecê-los e praticar para gravar bem.

formação do ed nos verbos regulares

Os verbos regulares possuem algumas regras com relação à “formação” do seu passado terminado em -ed, de maneira semelhante ao Present Tense. Essas regras se aplicam não ao ed em si, mas com a estrutura do verbo.

A regra geral é apenas acrescentar -ed no final. Exemplo clássico: work -> worked. Porém, existem exceções para isso, que são as seguintes:

  • verbos terminados em e: acrescenta-se apenas o d, já que o e já existe e ficaria duplicado. Exs: live -> lived, agreeagreed, change -> changed;
  • CVC: calma, não tô fazendo propaganda de ninguém aqui. Essa sigla significa simplesmente consoante – vogal – consoante. É que os verbos que tenham apenas uma sílaba, ou que tenham mais de uma mas que a última seja tônica, se terminarem com CVC, nessa ordem, a última letra será dobrada antes do ed. Ex: stop, que tem uma consoante (t), uma vogal (o) e outra consoante (p). Sendo assim, a última letra dobra, ficando stopped. Já o verbo admit, por exemplo, tem duas sílabas (ad-mit) e a última é a sílaba tônica e também termina com CVC. Sendo assim, a última letra dobra e fica admitted. Outros exemplos: occur -> occurred, drop -> dropped, control -> controlled;
  • verbos terminados em y: para estes casos existem duas situações. Deve-se verificar qual a letra que vem antes do y. Se for uma vogal, apenas acrescenta-se ed. Ex: play -> played, enjoy -> enjoyed. Se for uma consoante, retira-se o y e acrescenta-se -ied. Ex: try -> tried, study -> studied.

Quem olha em um primeiro momento pode achar complicado, mas com o tempo e prática você pega o jeito. Além disso, se você for comparar, ainda é mais fácil do que os verbos em português, que possuem uma conjugação para cada pessoa.

Ficou com dúvida? Deixe um comentário que respondo assim que puder. Aproveite e acesse esta página que contém exercícios sobre o Simple Past, porém com “tudo misturado” (regulares, irregulares e to be).

Ah, caso ainda não tenha visto, veja também o post a pronúncia do ED no final dos verbos regulares.

Até a próxima,

Ueritom

3 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.